BLOG SBAN: Alimente-se com ciência

Interpretação prática das curvas antropométricas

Publicado em: 15/11/2020 Autor: Patrícia Ruffo*

_______

Photo by Scott Graham

Uma das técnicas mais importantes da prática pediátrica é a antropometria. As ferramentas de interpretação dos valores antropométricos são os gráficos de crescimento (GC), que são baseados no conceito de distribuição normal de uma variável na população de referência. Os mais utilizados na atualidade são os da OMS de 2006 (0-5 anos) e de 2007 (5-19 anos). Na prática pediátrica, os GC mais utilizados são:

  • De 0-5 anos de idade: peso x idade; estatura x idade; IMC x idade e perímetro cefálico x idade,
  • De 5-19 anos de idade: estatura x idade e IMC x idade.

 

Para análise dos dados antropométricos, a OMS disponibiliza dois softwares gratuitos e fáceis de serem utilizados em consultório: o ANTHRO para crianças até 5 anos e o ANTHRO PLUS para crianças e adolescentes de 5 a 19 anos. A classificação do estado nutricional deve ser feita em todas as idades pelos GC de IMC x idade por Z-Escores.

A faixa de normalidade é o intervalo entre o Z-Escore -2 e o +1. A classificação nutricional para crianças é realizada da seguinte forma: (Figura 7):

  • Z-Escore abaixo de -2: Magreza (em qualquer idade);
  • Z-Escore entre +1 e +2: Risco de Sobrepeso de 0-5 anos, e Sobrepeso de 5-19 anos;
  • Z-Escore entre +2 e +3: Sobrepeso de 0-5 anos, e Obesidade de 5-19 anos;
  • Z-Escore acima de +3: Obesidade de 0-5 anos, e Obesidade Grave de 5-19 anos.

 

A interpretação das GC deve considerar o histórico das medidas pregressas, além dos valores da consulta atual. Mudanças sutis no padrão de curva mostram o momento correto de intervenção nutricional, evitando que a criança perca oportunidades relacionadas à janela da idade.

Situações especiais devem ser avaliadas de forma específica. Há gráficos antropométricos próprios para crianças com Síndrome de Down e neuropatas, uma vez que o uso das curvas-padrão tende a superestimar o diagnóstico de desnutrição, levando a condutas desnecessárias.

Concluindo, mais do que simplesmente fazer as mensurações de forma correta e colocar números em um gráfico cartesiano, a interpretação dos GC é o momento de ouro da consulta pediátrica para a identificação de uma criança em risco nutricional.

*Patrícia Ruffo é Nutricionista, Msc. Profissional pela Universidade São Camilo e membro da Diretoria da SBAN.

 

Segurança e conservação de alimentos

Publicado em: 01/11/2020 Autor: Márcia Terra*

_______

Photo by AllGo

Você sabia que antes dos alimentos chegarem ao seu prato eles passam por vários processos para se manterem íntegros e seguros? Os produtores de alimentos fazem tudo para evitar doenças relacionadas a alimentos. As indústrias treinam seus funcionários para que sigam todos os passos para manter os alimentos manipulados seguros. São práticas desde lavar as mãos até testes de amostras para garantir que o ambiente onde os alimentos são produzidos esteja adequado e seguro. As fábricas, os ingredientes, os produtos finais são fiscalizados pelos órgãos competentes, que garantem sua segurança. Sobre produtos embalados ou industrializados é bom saber que todos os ingredientes e aditivos usados pelas fábricas devem ser aprovados e comprovadamente seguros para o consumo humano.

Todas as embalagens usadas em produtos alimentícios são seguras. Além de protegerem e aumentar a vida útil do alimento, são fundamentais para ajudar a combater o desperdício.

As indústrias de alimentos seguem normas sanitárias e padrões de qualidade bem rígidos. E na sua cozinha não deve ser diferente. É importante conhecer sobre contaminação de alimentos para saber como se prevenir dela.  Há três tipos: física, biológica e química. Contaminação física: cabelo, metal, madeira. Contaminação química: spray contra pernilongo, produtos de limpeza. Contaminação biológica: insetos, roedores, entre outros.

Antes de comprar, verifique se o alimento não está amassado ou passado. Se for embalado, verifique se a embalagem está integra. As latas também não devem estar amassadas. Embalagens cartonadas, para produtos pasteurizados ou longa-vida, amassadas, podem apresentar microfuros que são quase invisíveis, o que permite a entrada de ar e a proliferação de fungos no produto. Acondicione os alimentos conforme as instruções de rotulagem. Cheque a validade e coloque os de validade maior no fundo da despensa e os de vencimento curto na frente.

A higiene pessoal também é muito importante para manter você seguro, bem como, manter o ambiente limpo e livre de contaminações. Para isso, quando estiver manipulando alimentos, lembre-se de lavar as mãos, remover anéis dos dedos e prender o cabelo. Mantenha a bancada onde vai trabalhar e os alimentos que vai preparar limpos e organizados.

*Márcia Terra é Nutricionista e membro da Diretoria da SBAN.

Como manter hábitos saudáveis em tempos de distanciamento social

Publicado em: 15/10/2020

_______

Saiba Mais +

Formação de hábitos alimentares do lactente: o que é importante saber?

Publicado em: 05/10/2020

_______

Saiba Mais +

Importância da associação do zinco na diarreia aguda e reidratação oral

Publicado em: 15/09/2020

_______

Saiba Mais +

Ganho de peso infantil durante a pandemia

Publicado em: 01/09/2020

_______

Saiba Mais +

Influência do hábito alimentar sobre o estresse, ansiedade e depressão

Publicado em: 15/08/2020

_______

Saiba Mais +

Benefícios do processamento do leite

Publicado em: 01/08/2020

_______

Saiba Mais +

Boa nutrição ajuda a sua saúde imunológica

Publicado em: 15/07/2020

_______

Saiba Mais +

Compostos fenólicos nos alimentos e proteção celular

Publicado em: 01/07/2020

_______

Saiba Mais +

Torne-se um associado SBAN

Faça parte da nossa equipe de associados e tenha vantagens exclusivas.